quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

#DIY: Porta canetas com madeira reciclada

Minhas filhas estavam vasculhando a internet atras de #DIY, como sempre, e vieram me mostrar a foto de um porta canetas feito com um pequeno tronco perfurado como esses do Pinterest. Me pediram um modelo e deram a ideia de comercializá-lo.

Sem pressa, decidi buscar um pouco de madeira e começar a testar para fazer esse DIY.

Como temos um fogão a lenha criamos o costume de armazenar tudo quanto é tipo de lenha. E isso facilitou os testes. Peguei uns tronquinhos com cerca de 5cm ou 6cm de diâmetro e separei, deixando-os secar bem.


Não era uma madeira muito boa, apresentava rachaduras e quebra muito fácil quando cortada em pedaços pequenos. Mas era só teste.


Fui para a oficina e cortei com a serrinha de fita cerca de 7cm para a altura. Fiz 4 "cilindros" nesse padrão.

Agora teria que perfurar os espaços para os lápis e canetas e para isso achei melhor marcar precisamente o centro e os outros pontos a serem furados, seguindo o seguinte esquema:

1° Fazer uma marcação no centro do círculo (azul);
2° Traçar uma reta de diâmetro (vermelha), passando por cima da primeira marcação;
3° Traçar mais uma reta de diâmetro (vermelha) perpendicular à primeira;
4° Marcar o centro de cada raio (pontos azuis);

Até aqui temos 5 pontos de furação marcados, o que é uma boa quantidade já que nossa superfície é pequena. Mas quis ver o quanto caberia e aumentei de 5 para 9 furos.

Para continuar seguindo o esquema fiz mais uma reta (verde) sobre os pontos marcados no meio dos raios e marquei seu centro (ponto amarelo). Pronto. Todos os furos estão alinhados e marcados. Só nos resta furar.



Se você quiser usar esse esquema numa superfície maior, quadrada, retangular ou qualquer outra, basta achar o centro e ir aumentando as retas e pontos seguindo esse padrão: sempre encontre o centro de cada reta e semi-reta. Tudo traçado e marcado, chegou a hora de furar.

Comentei na postagem anterior que completamos as ferramentas da oficina com uma aparelhagem de marcenaria. Temos uma furadeira de bancada que facilitou muito o trabalho. Escolhemos uma broca adequada, para madeira, com a espessura das canetas que utilizamos e começamos a furar.

Você pode escolher a broca que satisfaça suas necessidades: escolha uma mais fina que as canetas caso queira guardar algo menor, como pincéis, escolha brocas bem maiores para marca-textos ou mesmo pequenas ferramentas - eu uso um desse para guardar as próprias brocas, de diversas espessuras. E você também pode criar o formato que quiser - sabemos que é importante deixar nossos ambientes agradáveis e combinando com nosso estilo!

Firme bem a peça. Se for necessário use os sargentos ou morsas. Centralize corretamente a ponta da broca acima de cada ponto marcado e fure cerca de 5cm, assim suas canetas não ficarão bambas. Claro que o melhor é definir a profundidade do furo de acordo com o que for guardar.








Com os furos feitos basta finalizar as peças. Passei primeiro uma lixa com a mão, tirando as farpas maiores e depois passei na lixadeira - aquela da bancada multifunção Gamma -  e depois envernizei algumas peças e pintei outras. Isso vai do seu gosto, do seu ambiente e da função que você vai das a peça.


Não se esqueça que a segurança está sempre em primeiro lugar e você nunca deve se arriscar para fazer algo. Peça ajuda a alguém que conheça ou busque informações sobre como manejar corretamente as ferramentas. E devo lembrar que uma furadeira de bancada é mais adequada para esse #DIY do que aquelas furadeiras de impacto. No site da Gamma você pode encontrar informações específicas sobre cada uma delas, basta clicar aqui

Em breve faremos alguns reviews sobre essas ferramentas novas e compartilharemos com vocês junto com dicas e muito mais!

Caso tenha alguma dúvida ou quiser compartilhar sua ideia e #DIY conosco, deixe um comentário, e lembre-se de que temos mais fotos e detalhes também no Facebook e no Instagram.

Se quiser encomendar um, fique a vontade, basta nos mandar um email!

Aloha e Bons Ventos!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Novas águas invadem 2018

Com a missão de fazer um 2018 com pelo menos 12 postagens (ou mais) vamos iniciar falando sobre nossos novos objetivos com a Equipe aqui no galpão. Que água está nos invadindo com tudo?

Há anos atras trabalhei com marcenaria. Criava brinquedos infantis, carrinhos, jogos, tudo o que pudesse ser feito em madeira e que não fossem móveis ou coisa do tipo. Esculpia pequenas estatuetas e mascaras Tiki, barcos de pesca e veleiros... algumas peças vendia e outras ficava em casa como decoração ou por ter mesmo um valor sentimental.

No fim do ano passado decidimos ampliar nosso alcance. Nossos clientes, principalmente velejadores, sempre buscavam peças em madeira para o interior de seus barcos, itens para camping e de decoração ou sugeriam algumas ideias que só seriam possíveis de ser feitas se uma marcenaria invadisse o galpão. Foi isso o que fizemos.

Em meados de novembro e dezembro aproveitamos a tão divulgada e nem tão verdadeira Black Friday para fazer uma varredura em busca de ferramentas básicas de marcenaria com custo-beneficio adequado aos nossos interesses. E já adianto que iremos adquirir mais algumas...


Compramos então uma serra multifunção, parafusadeira, furadeira de bancada, serra de fita, plaina, tupia e outros itens menores e necessários. A maioria delas são Gamma.

Demorou para a coragem chegar, mas enfim organizei tudo na oficina - que estava totalmente ocupada pela funilaria - e comecei a ver no que ia dar. 

De início optei por pequenos reparos em peças usadas, algumas para o espaço de estética da minha esposa, e algumas ferramentas de auxílio como esquadros, gabaritos, guias e suportes para as próprias ferramentas.

As fotos nesse post mostram um exemplo. Trata-se de uma antiga (e não 'velha') caixa de feira que foi abandonada na calçada da minha casa, quebrada, após uma longa vida aguentando os gritos e cuidando do dinheiro de feirantes ano após ano.


Para entrar no clima, já que o que nos interessa esse ano é investir na criação de peças em madeira, decidi por restaurá-la. Desmontei as partes, tirei as ferragens todas e substituí o que não tinha concerto fazendo novas peças. Lixei a caixa inteira corrigindo as imperfeições mais discrepantes e deixando as que revelam o tempo e dão originalidade a peça.




Finalizei adicionando pequenos carpetes no interior, levando um pouco de requinte e charme, passei um bom verniz e a deixei pronta para receber somente elogios. 

O trabalho com madeira, ainda mais os restauros e reutilizações, me chamam especial atenção. Provam que a madeira tem vida e que com o cuidado correto o que parece feio e sem uso retorna a vida com muito brilho e força total.

Esse exemplo ilustra o que queremos nesse ano. Além da oficina automotiva e náutica, priorizaremos a produção desses itens de madeira. Caso tenha alguma sugestão e boa ideia para nos ajudar deixe seu comentário aqui embaixo ou na nossa Página do Facebook.

Muito obrigado por nos acompanhar. 
Aloha e Bons Ventos!